quarta-feira, 14 de abril de 2010

Mais dicas de estudo e aprendizado de Inglês

Bom dia a todos.
Estamos em uma época muito importante do ano. Já já explico por que.

Para quem está conhecendo o Blog agora meu nome é Fabio, sou professor de Inglês há 7 anos e este espaço existe há quase dois. Meu objetivo principal é tentar prestar toda ajuda possível àqueles que estão aprendendo Inglês (há mensagens no Blog com dicas e incentivo a quem ensina Inglês também).
Nestas mais de 180 mensagens aqui até agora, vou escrevendo coisas que eu acho primordiais para um bom aprendizado da língua. Conforme vou amadurecendo profissionalmente vou aprendendo muito com meus alunos e dividindo com as pessoas tudo o que possa ser útil para elas.
O motivo desta atitude é tentar evitar que pessoas cultas, inteligentes e esforçadas desistam do Inglês por diversos motivos como falta de apoio, incentivo, ideias, planejamento etc. Mas fundamentalmente mostrar-lhes que a Língua Inglesa não é um monstro de 7 cabeças e não devemos ter medo. Todos temos capacidade de ser fluentes. Alguns não sabem bem o caminho.

Bom, voltando ao motivo de eu ter dito que essa é uma época especial. Estamos em abril e aqui no RJ este é o mês mais importante do ano para muitas pessoas. Explico: aqui faz (e este ano bateu todos os recordes) um calor infernal de dezembro a março e muitas pessoas começam os estudos de língua estrangeira agora, entre o finalzinho de março e o começo de maio.
E é justamente sobre esta atitude de se começar o estudo do Inglês (por curso ou por aula particular) que eu gostaria de falar um pouco.

As duas primeiras atitudes a serem tomadas de imediato e que devem durar todo o aprendizado são estas: não baseie o aprendizado de Inglês na Língua Portuguesa e não tome os nossos sons das letras do alfabeto como sons universais a serem usados em todas as línguas.
E, finalmente, encare o aprendizado como uma faculdade. Ficar "craque" em fala, escrita, gramática, vocabulário e compreensão auditiva exige muito esforço, muito estudo e prática. Eu comparo, por exemplo, ao esforço que se deve fazer para saber bem Direito Civil, Penal, Tributário, Constitucional e Administrativo.

Exemplificando os dois parágrafos acima:
O Inglês e o Português vêm em parte, do Latim. Isto acarreta em algumas palavras e construções parecidas mas isso não chega a 20%. Temos, em Português, forte influência do Tupi Guarani, assim como das línguas germânicas no Inglês. E, além disso, temos o desenvolvimento diário da Língua com o surgimento de gírias e vocabulários específicos de cada região. Por isso basear o aprendizado em tradução geralmente e uma furada.

Quanto aos sons, em Português geralmente as palavras têm o som da letra no alfabeto. Estes sons sofrem variações principalmente no A , no E e no O ao colocarmos acentos gráficos. Em Inglês, temos, em muitíssimos casos, palavras com som diferente daquele do alfabeto. Como saberemos o que é certo ? Estudando e praticando muito pois não há regras na maioria dos casos.
Ex: Letra U - Som da letra no alfabeto = YOU
Mas vejam as palavras: Umbrella (som de â), busy (i), bury (é).

Por último, o Inglês não deve ser encarado como uma matéria de escola ("tirei 7,0: Passei !). Imaginem a confusão de um discurso numa reunião de negócios na empresa, tratando de planos para o próximo trimestre em que 30% de tudo o que é falado não faz sentido ou vem com erros de pronúncia ou gramaticais ? Socorro !!!!

Abração pra todo mundo. Tô indo dar 3 aulas em bairros diferentes daqui a pouco.

Valeu !

2 comentários:

sablina disse...

Oi Fabio....
Adorei o blog!
Enviei um e-mail para vc me enviar os livros gratuitos!
Parabens!!!!

Isabel Cristina disse...

Boa tarde Prof. Fábio,
Desejo seu contato (e-mail e telefone), pois trabalho com videoaualas online e tenho interesse em gravar videoulas de Língua Inglesa para Concursos.
Meu contato é isabel.avila@iesde.com.br.
Abraço,
Isabel